Em & ao ar livre - estratégia

Uma solução eficiente para o fornecimento de energia, usada por grande parte dos que fazem jardinagem caseira, é a luz natural externa, para o processo de floração, e uma fonte de luz interna contínua para o processo de desenvolvimento da semente e crescimento vegetativo. Isso ajuda a diminuir o consumo de energia e a evitar o ciclo luz natural/ escuridão. Uma estufa compacta, construída com folhas de PVC ou fibra de vidro ondulada (Filon) certamente vai parecer um galpão usado para armazenamento, possivelmente levantando menos suspeitas.

Uma construção maior de madeira ou metal pode ser modificada facilmente através da instalação de um teto luminoso com folhas de plástico, fibra de vidro, vidro ou PVC. Alguns tipos de planta que não dependem de muita luz certamente irão crescer bem. Um galpão desse tipo vai ser discreto e garantir que você mantenha seu negócio privado. Ele também vai ajudar a evitar pragas como roedores. Uma fechadura de segurança pode ser facilmente instalada. Um galpão maior é ideal também se existe a intenção de plantar as sementes em solo externo e é efetivo para plantas com raizes que crescem muito, quando não hidropônicas, podendo resultar em maiores colheitas.

Durante o inverno, é provável que o ambiente interno seja usado para o crescimento das mudas, que podem ser levadas para o exterior na primavera, para ajudá-las a amadurecer à luz do sol. Uma configuração como essa pode resultar em três colheitas em estufa ou ao ar livre a cada 12 meses. Em um leiaute espaçoso com crescimento interno constante e floração no galpão, é possível que seja feita uma colheira a cada 2 meses em certas áreas. Uma colheita interna bem menor também é possível.

No processo de produção anual é essencial observar que as plantas seguem um crescimento de dois ciclos. No estágio inicial de germinação as plantas estão entrando em um estágio vegetativo e precisam de uma fonte constante de luz. Durante este período um ciclo escuro não é necessário. Uma planta é capaz de fazer fotosíntese continuamente e isso leva a um crescimento mais rápido, comparado com plantação ao ar livre, mesmo com longas noites. Nos períodos escuros, o processo de fotosíntese para e as plantas usam açúcares para ajudar o desenvolvimento durante a noite. Portanto, fornecendo luz constante (fotosíntese contínua), um ciclo de crescimento muito mais rápido é obtido.

Uma vez que a planta tenha atingido uma altura na faixa de 30 a 45 cm, ela pode ser movida para um ambiente externo, se as condições climáticas forem apropriadas, na primavera ou outono, para levá-la a florescer. Se tiver a intenção de deixá-la florescer ao ar livre durante os meses de verão, pode ser que a luz tenha que ser artificialmente aumentada durante a noite, para ajudar a forçar o processo de floração.

Deixar as plantas expostas à luz por períodos de 10 a 13 horas (ao ar livre), sem interrupção no período escuro (sem luzes brilhantes), irá forçar seu crescimento. Agora a planta pode começar a amadurecer e dar origem a duas ou três durante a colheita. Quando ela é trocada de uma fonte de luz contínua para um período externo de 10 a 13 horas, consegue começar o processo de floração, na expectativa do próximo inverno. É provável que uma muda colocada em ambiente externo em 1º de março esteja num estágio maduro em 1º de maio. Uma muda colocada ao ar livre em 1º de maio provavelmente estará madura em 1º de julho. E aquelas movidas para o exterior em 1º de setembro estarão prontas para a colheita em 1º de novembro. O cultivo provavelmente deve ser movido para o interior durante o inverno e a plantação vai para o ciclo da semente, com expectativa de ser levada para o exterior no próximo verão, ou apenas para um abrigo de inverno.

Tenha em mente que as plantas pode ser necessárias no período entre setembro e novembro. Sendo inteligente, você vai começar a colheira principal em maio, em vez de outubro.