O que Precisa de saber sobre CBD e THC: Diferenças, Benefícios e Efeitos Colaterais

Published : 2019-08-09 15:33:33
Categories : Cannabis - maconha Rss feed

O que Precisa de saber sobre CBD e THC: Diferenças, Benefícios e Efeitos Colaterais

Aprenda o ABC do THC e CBD e conheça o seu crescimento à letra 

Se não estiver a planear cultivar a sua própria colheita, é importante entender as diferenças entre estes dois canabinóides distintos. Mesmo se for apenas um consumidor. Há tanta informação disponível sobre as duas substâncias que pode ser um pesadelo separar a verdade da ficção. 

Ter uma curiosidade natural para o que, provavelmente, já está a consumir é normal. Surpreendentemente, eles afetam o corpo de maneiras muito diferentes, e ambos produzem os seus próprios efeitos individuais e únicos. Talvez ainda mais surpreendente, é o facto de terem uma composição química idêntica. Ambos fazem ondas no consumo, na holística, na legislação, na ciência médica e até mesmo na nutrição. Então é melhor saber, antes de consumir. 

CBD vs. THC: A Ciência

 Como dito anteriormente, o CBD e o THC têm exatamente a mesma composição química. Cada um contém 21 átomos de carbono, 30 de hidrogênio e dois de oxigênio. O que os torna diferentes é como esses átomos são organizados. O que significa que a principal diferença química entre os dois repousa sobre um átomo de carbono único e minúsculo. O arranjo de moléculas que interagem com os nossos corpos é semelhante ao corte de uma chave. Uma pequena diferença muda toda a estrutura e função da chave. 

Tanto o Cannabidol (CBD) e Tetrahydrocannabinol trabalham em conjunto com os corpos Endocannabinoid System (ECS). Este sistema consiste numa rede de receptores encontrados ao longo de todo o nosso corpo. Pense nos receptores como a chave da nossa fechadura molecular. As fechaduras da ECS só funcionam com chaves canabinóides, como THC e CBD. 

Os cientistas descobriram dois tipos principais destes receptores, CB1 e CB2. Enquanto ambos trabalham com canabinóides, eles são encontrados em diferentes áreas do corpo. Os receptores CB1 são encontrados em partes do cérebro responsáveis ​​por atividades como a memória, a alta cognição, a emoção e a coordenação motora. Os receptores CB2 são encontrados em todo o Sistema Nervoso Central (SNC) e no sistema imunológico. O sistema nervoso central é, em grande parte, o que liga os nossos corpos aos nossos cérebros, coordenando as funções dos dois.. 

Como o THC e o CBD têm uma estrutura ligeiramente diferente, eles interagem com os receptores de maneiras únicas e diferentes. Tanto o CBD como o THC ligam-se normalmente ao receptor CB2. Cada chave encaixa graciosamente na fechadura. No entanto, o CBD não se liga diretamente aos receptores CB1, onde o THC se liga. Na verdade, apenas a mera presença de CBD pode manter o THC ligado ao CB1, ou remover o THC do bloqueio do ECS se ele estiver ligado antes do CBD aparecer. 

Com a ligação do THC aos receptores CB1 no cérebro, os cientistas acreditam que é por isso que o THC produz efeitos nas pessoas. Enquanto que a CBD não tem efeitos psicoativos, e pode até servir para neutralizar efeitos que o THC produz. 

CBD vs. THC: Utilizações

 As formas específicas de ligação entre o CBD e o THC (ou de não ligação) ao nosso sistema endocanabinoide é como e por que os canabinóides podem ser usados ​​para afetar positivamente a nossa saúde, mente e humor. 

Toda vez que uma chave molecular é inserida em uma fechadura de receptor, outras substâncias químicas (chamadas de neurotransmissores) são libertadas. Estes produtos químicos passam por todo o corpo para executar várias funções. Para além de oferecer aquele efeito inebriante, o THC difere nos tipos de efeitos benéficos que produz no corpo.

THC é usado para ajudar com condições como:

  • Dor
  • Espasmos Musculares
  • Glaucoma
  • Insônia
  • Baixo Apetite
  • Letargia
  • Náusea
  • Ansiedade
  • Depressão

O THC tem sido utilizado já há muito tempo para náuseas e dores, especificamente em conjunto com tratamentos de quimioterapia. No entanto, novas evidências estão a mostrar algumas aplicações futuras promissoras que o THC pode nos oferecer. O THC demonstrou ser incrivelmente útil, não só no tratamento de disfunções mentais, mas também em estudá-las. Num novo estudo realizado em ratos (link em inglês), graças aos efeitos epilamicamente úteis do THC na ansiedade, os pesquisadores puderam começar a isolar qual a parte do cérebro que pode ser responsável pela ansiedade.. 

Como o CBD não tem efeitos eufóricos, e geralmente só se liga aos receptores encontrados no corpo, é mais útil para doenças físicas. 

  • Convulsões
  • Inflamações
  • Dores
  • Doença Inflamatória Intestinal
  • Náuseas
  • Enxaquecas

Para ter certeza, tem sido relatado casos de CBD ajudando com doenças mentais, como ansiedade ou esquizofrenia (link em Inglês), mas os resultados têm sido mistos na melhor das hipóteses e os pesquisadores ainda estão relutantes sobre as supostas propriedades ansiolíticas CBD´s. O que é, talvez, o melhor benefício pesquisado e mais bem fundamentado para o uso medicinal do CBD é o uso como anticonvulsivante. Diversos estudos demonstraram que o CBD funciona bem para atenuar e impedir a atividade convulsiva, o que de outras formas tem vindo a mostrar-se complicado. 

CBD vs. THC: A Legalidade

É aqui que as coisas tendem a ficar um pouco perigosas. Dependendo de onde estiver no mundo, os dois ou nem THC ou CBD podem estar disponíveis para utilização. O mundo tende a estar de desacordo sobre se qualquer uma destas substâncias tem algum mérito. Talvez por causa dos seus notáveis ​​efeitos psicoativos, o THC foi proibido na maioria dos países do mundo.. 

Nos EUA, ainda é considerado ilegal ao nível federal. CBD tende a existir numa zona muito mais neutra quando se trata da lei. Por não ter capacidade de produzir efeitos semelhantes a drogas ou euforizantes, a CBD é geralmente considerada, por padrão, como legal. No entanto, isso aplica-se estritamente ao CBD derivado do cânhamo, pois o CBD que é derivado de plantas de canábis THC ainda são considerados ilegais em muitos países, incluindo os EUA e o Reino Unido. Portanto, o CBD não é legal, mas também não é tecnicamente ilegal. 

Durante décadas, e talvez até milênios, o CBD e o THC não eram apenas legais, mas incrivelmente omnipresentes e amplamente utilizados em todo o mundo. Foram encontrados tubos de argila revestidos com resíduos de THC que datam de 8000 aC e aos Indígenas da Ásia Central e do subcontinente. O historiador grego Heródoto (que existia por volta de 480 aC) notou que os habitantes da antiga Cítia frequentemente inalavam os vapores da fumaça de cânhamo, tanto para o ritual quanto para recreação. Nos tempos históricos, o CBD e o cânhamo eram usados ​​regularmente para quase tudo. De fato, acredita-se que o cânhamo seja uma das primeiras plantas a serem cultivadas. Materiais de construção, roupas, cânhamo de papel foram usados ​​até mesmo para alimentar exércitos e como um importante suplemento nutricional para os primeiros colonos.. 

Assim, embora grande parte do mundo não pareça muito preocupado com o CBD, o THC é definitivamente outro problema em conjunto. O Canadá e o Uruguai são os únicos países do mundo onde o THC é legal a um nível nacional. Enbora muitos outros países em todo o mundo passaram a descriminalizar o THC, ainda não é considerado legal. A diferença entre descriminalização e legalidade está nas letras miúdas. Embora descriminalizado, pode ainda ser ilegal possuir, vender ou produzir culturas contendo THC. Se for apanhado, não pode ser preso ou julgado, mas poderá definitivamente, ser chamado à atenção através de uma avultada multa. 

Nos EUA, as leis federais de legalidade relativas ao uso de THC para momentos de lazer, podem ser mudadas brevemente (Link em Inglês). Com mais estados nos EUA a legalizar o THC e os seus produtos associados, os legisladores estão a discutir se deve ser legalizado recreativamente a um nível federal. 

CBD vs. THC: Os Efeitos Secundários

 

Os efeitos colaterais do THC e do CBD funcionam de maneira bastante semelhante aos principais efeitos colaterais de qualquer droga, ou seja, se for alérgico a ela, não deve tomá-la. Fora disso, o CBD tem efeitos colaterais insignificantes que sugerem que os únicos que podem ocorrer são o resultado do CBD interagir com outro tipo de medicamento que poderá estar a tomar. Não há efeitos a longo prazo que foram comprovados e estabelecidos a partir do uso de CBD. E poucos efeitos colaterais temporários foram observados. 

Como o THC interage um pouco mais diretamente com o cérebro, os efeitos colaterais desse canabinoide são um pouco mais pronunciados. Embora nenhum efeito colateral fatal tenha sido observado, o THC pode causar desconforto a curto prazo, como:

  • Aumento da Frequência Cardíaca
  • Problemas de Coordenação
  • Sede/Boca Seca
  • Perca de Memória
  • Diminuiçao do Tempo de Reação
  • Ansiedade
  • Paranóia
  • Olhos Vermelhos

Apesar do facto de que nenhum desses efeitos colaterais são fatais, existem algumas evidências (link em Inglês) que sugerem que o uso prolongado pode causar alguns distúrbios neurológicos, especificamente em adolescentes. No entanto, experiências para testar esta teoria foram estudados apenas em ratos, e alguns propõem que há uma maior probabilidade de piorar o caso clínico ao haver vestígios da doença nos indivíduos anteriormente. Estudiosos sugerem que mais investigações são necessárias. Mas, talvez seja uma boa razão para evitar ingerir THC até que seja legalmente maior de idade. 

Recentemente, um médico legista nos EUA relatou o primeiro caso de overdose por canábis conhecido no mundo. Afirmando que uma mulher de 39 anos entrou em paragem respiratória completa após o vaping de óleo altamente concentrado de THC. Mas, este médico legista pode ser o único convencido deste suposto efeito colateral, já que muitos outros oficiais qualificados permanecem altamente suspeitos deste diagnóstico. No geral, nada de substancial foi descoberto que THC ou CBD podem causar efeitos colaterais fatais ou a longo prazo. Então fume, mas só se tiver mais de 21 anos.

Share this content